Entender um pouco da história das grandes varejistas no Brasil é de suma importância para saber como o mercado foi se desenhando ao longo dos anos e, principalmente, serve para aprender com erros e acertos dessas grandes companhias. 

Diante disso, o conteúdo foi baseado no Ranking 2019 IBEVAR FIA, elaborado pelo Instituto Brasileiro de Executivos de Varejo e Mercado de Consumo (IBEVAR) em parceria com a FIA, que lista as empresas que possuem o maior faturamento anual. Dessa lista, foram extraídas as 5 principais, e será abordado um pouco mais sobre cada uma delas. 

1. Carrefour

a-história-das-5-principais-varejistas-do-brasil-carrefour

O Carrefour foi criado em 1959, na França, quando duas famílias de comerciantes, Fournier e Defforey, comandadas por Marcel Fournier e Denis Defforey, uniram suas forças para começar um novo empreendimento. 

Concretizada a parceria entre as duas famílias, surgiu então o Carrefour. Somente no ano seguinte, a empresa inaugurou seu primeiro supermercado na cidade francesa de Parmelan, na região da Haute-Savoie. 

O sucesso da primeira loja foi imediato, fazendo com que a empresa, criasse, em 15 de junho de 1963, um novo conceito de lojas, o hipermercado, com 2.500 metros quadrados de área de vendas e 400 vagas para estacionamento, que abriu suas portas na cidade de Sainte-Geneviéve-Des-Bois, próxima de Paris.

Esse formato inovador, uma loja de auto-serviço, tinha com o objetivo suprir as necessidades de um novo tipo de consumidor europeu. A receptividade do público e o aumento das vendas levaram a empresa a abrir outras unidades na França e em outros países da Europa, a começar pela Bélgica em 1969 e Espanha em 1973, com o primeiro hipermercado Pryca. 

Nos anos seguintes o Carrefour introduziu muitas inovações no mercado como os “produtos livres“ (produtos sem marcas), mas “também bons e mais baratos“, em 1976; promover os famosos grandes descontos em suas lojas (Maxidescontos) em 1979; a introdução de seu próprio cartão de pagamento, o The Pass Card, em 1981; ampliação do leque de serviços do grupo com a introdução do Seguros Carrefour em 1984; e os produtos com a marca Carrefour em 1985.

Em 1989, o Carrefour se tornou o primeiro varejista mundial a ingressar no mercado asiático através de uma parceria com a empresa Uni President Enterprises Corporation, inaugurando lojas em Taiwan. 

A experiência adquirida serviu como base para a abertura de outras lojas em países do continente como Malásia (1994), China (1995), Tailândia (1996) e Indonésia (1998). No ano de 1999, o Carrefour e o grupo Promódes (proprietária da rede de supermercados Champion) se fundem formando a maior rede varejista alimentícia da Europa e a segunda maior do mundo. 

Nesse mesmo ano o grupo comprou cerca de 85 supermercados no Brasil. No ano seguinte inaugurou seu primeiro hipermercado no Japão e ingressou no comércio on-line. Foi assim que o grupo Carrefour se transformou num gigante no setor de varejo.

O significado do logotipo remete à palavra que dá nome à empresa: “carrefour”, que significa cruzamento em francês, o que explica a existência das duas setas apontadas em sentidos opostos. As letras e as setas possuem as mesmas cores que a bandeira da França, o país de origem da marca. 

Quando ao significado do nome cruzamento, em francês, refere-se a inauguração da primeira loja do grupo, na cidade de Annecy, justamente no cruzamento de duas avenidas.

2. Grupo Pão de Açúcar

a-história-das-5-principais-varejistas-do-brasil-grupo-pão-deaçúcar

O Grupo Pão de Açúcar, GPA, é uma empresa de comércio varejista brasileira controlada pelo grupo francês Casino, dona de várias das principais marcas do setor no Brasil, sendo integrantes de seu portfólio negócios como o Pão de Açúcar, o Extra, o Compre Bem e o Assaí. 

A empresa surgiu a partir da criação da Doceira Pão de Açúcar, fundada em 1948 na cidade de São Paulo pelo imigrante português Valentim dos Santos Diniz, que na década seguinte decidiu ingressar no mercado varejista com a criação do supermercado homônimo, inaugurado em 1959. 

Na década seguinte, a empresa se expande através de aquisição de negócios concorrentes (como a da pioneira Sirva-se) e abertura de novas lojas, e, em 1970, inaugura o Jumbo, um dos primeiros hipermercados do Brasil.

Na década de 1980, concentra todos seus negócios em uma única empresa e diversifica seu portfólio com a criação de lojas de segmentos diversos como a Sandiz, rede de lojas de departamentos, Peg & Faça, voltada a bricolagem, e a mercearia de descontos Minibox. 

Na mesma década, a empresa passa por uma reestruturação de seus negócios, focando-se no setor de varejo ao vender ativos não-relacionados e encerrando aqueles que apresentavam resultados insatisfatórios. Parte dessa reformulação iniciou-se pela transformação dos hipermercados Jumbo em Extra, atitude que foi iniciada no ano de 1989.

Filho do fundador, o empresário Abilio Diniz passou a controlar a companhia na década seguinte, época em que a empresa foi listada na Bolsa de Valores de Nova Iorque, a primeira do setor de varejo do Brasil a realizar tal feito. 

Na mesma época, compra a rede de supermercados Barateiro e se associa ao Grupo Casino, que adquiriu uma participação minoritária da empresa em 1999. Na década de 2000, adquire empresas como o Assaí, Sendas e Pontofrio, sendo que esta última associou-se a Casas Bahia, formando a Via Varejo. Em 2013, Abilio deixou o comando da companhia, que passou a ser controlada pelo Casino.

Em junho de 2019, o GPA vende sua participação de 36 por cento na Via Varejo em um leilão na B3.

3. Via Varejo

a-história-das-5-principais-varejistas-do-brasil-via-varejo

A Via Varejo é uma empresa de comércio varejista brasileira fundada em 2010, responsável pelas redes de lojas das bandeiras Casas Bahia e Pontofrio e das suas respectivas lojas virtuais, da fabricante de móveis Bartira, além de ser a administradora do site de e-commerce Extra.com.br.

A criação da companhia ocorreu após a associação da Casas Bahia, pertencente à família Klein, e do Pontofrio, propriedade do Grupo Pão de Açúcar (GPA), que até junho de 2019 foi seu acionista controlador através da participação de 39,36% no seu capital. 

A partir de 14 de junho de 2019, o GPA deixa o controle da Via Varejo, Michel Klein volta presidente do Conselho de Administração e o acionista de referência da companhia, durante leilão de venda das ações. Uma nova diretoria executiva foi anunciada, com Roberto Fulcherberguer assumindo a presidência. Em 2018, a receita bruta da Via Varejo alcançou a marca de R$ 30,5 bilhões.

A empresa está presente em mais de 400 municípios brasileiros, 20 estados e no Distrito Federal, com cerca de mil lojas e aproximadamente 45 mil colaboradores. A sede administrativa da companhia se situa no município de São Caetano do Sul, na Grande São Paulo (SP), e posiciona-se como uma das maiores varejistas de eletroeletrônicos do mundo.

4. Walmart Brasil

a-história-das-5-principais-varejistas-do-brasil-walmart-brasil

A história da Walmart começa a ser traçada na década de 1940, quando Sam Walton começou sua carreira em uma loja de varejo de J.C. Penny. A empresa é considerada a maior varejista do mundo.

Porém, o foco é falar do Walmart no Brasil. A primeira cidade brasileira a receber uma loja filial do Walmart foi Osasco, no ano de 1995. A empresa atuou primeiramente pelo Sudeste, expandindo seus negócios para o Nordeste com a compra da Rede Bompreço. 

Abriu lojas também em Brasília, Goiânia, Minas Gerais, Campo Grande e Rio de Janeiro. Em 2004 o Walmart adquiriu as lojas da Rede Bompreço na região nordeste e em 2005 adquiriu as lojas da rede Sonae.

Em junho de 2018, no entanto, a Walmart anunciou a venda da fatia majoritária no Brasil, para a empresa de private equity Advent International que vai adquirir o controle das operações do Walmart no Brasil, no terceiro grande negócio do varejista desde abril para remodelar suas operações no exterior.

Em maio de 2019, o varejo online do Walmart Brasil foi descontinuado. Em agosto de 2019, o novo proprietário do Walmart Brasil, a firma de private equity Advent International, anunciou a reformulação das suas operações no Brasil. 

A marca Walmart deixa de existir e gradualmente trocada para as marcas regionais BIG (já existente), BIG Bompreço (criada na junção do BIG e do Bompreço, para atuar nos mercados do Nordeste), Super Bompreço e Nacional (em substituição às bandeiras Walmart Supermercados, Mercadorama, Nacional e Bompreço).

Na nova empresa, a matriz americana tem 20% das operações brasileiras, enquanto o Advent tem 80% da sociedade. A nova remodelação inclui a extinção do nome corporativo Walmart e a conversão de hipermercados em clube de compras e atacarejo. As mudanças estarão totalmente concluídas até o final de 2021, quando as últimas lojas serão convertidas para as novas bandeiras.

5. Magazine Luiza

a-história-das-5-principais-varejistas-do-brasil-magazine-luiza

A Magazine Luiza foi fundado em 1957 em Franca, interior de São Paulo, quando o casal Sr. Pelegrino José Donato, um caixeiro-viajante, e Dona Luiza Trajano Donato, uma balconista, adquiriram uma pequena loja de presentes. 

À época, ela se chamava A Cristaleira, e foi rebatizada de Magazine Luiza com o envolvimento da população da cidade, que participou de um concurso que Dona Luiza lançou para escolha de um novo nome na rádio local.

Em Franca, a loja se notabilizou pelo atendimento gerido pelos próprios donos, especialmente dona Luiza, que também supervisionava a expedição e fazia pesquisa de mercado.

Durante as décadas seguintes, a companhia viveu uma grande expansão de seus negócios para outras cidades do interior de São Paulo, como Barretos e Igarapava, além de novas unidades em Franca. Esse período foi marcado também pelo ingresso de outros familiares no negócio, tornando possível esse crescimento.

Aos 12 anos, Luiza Helena Trajano, sobrinha da fundadora Luiza Trajano, já havia tido a experiência de trabalhar na companhia durante suas férias escolares. Mas foi aos 18 anos que ela ingressou efetivamente na empresa, passando por todos os departamentos até assumir a superintendência da companhia, em 1991.

Em 1993, Luiza Helena Trajano criou a primeira Liquidação Fantástica, uma das estratégias de marketing e vendas mais copiadas do varejo brasileiro. No início de janeiro a rede vende produtos de mostruário e também seus estoques de ano novo em um único dia, com descontos reais de até 70%. A campanha mobilizou grande número de consumidores e houve formação de extensas filas em frente às lojas.

Em 2008, ano em que completou 50 anos de fundação, a companhia entrou no mercado de São Paulo inaugurando 44 lojas simultaneamente. A princípio, o plano era inaugurar 50 lojas ao mesmo tempo, mas devido a problemas burocráticos de obra, as demais 6 lojas foram inauguradas em diferentes datas.

Em abril de 2009, Luiza Helena Trajano sentiu a necessidade de profissionalizar a gestão e convidou o executivo Marcelo Silva a ajudá-la na administração da companhia. 1

Silva, que permaneceu no cargo por oito anos, tinha um longo currículo em empresas familiares, e preparou a empresa para que Frederico Trajano, filho de Luiza Trajano e executivo da companhia, assumisse a presidência em janeiro de 2016. Luiza Helena Trajano foi então alçada à presidência do conselho de administração da empresa e Marcelo Silva à vice presidência.

Hoje, a Magazine Luiza é o grande destaque no que tange transformação digital no varejo. A empresa é uma referência nesse sentido e vem obtendo excelentes resultados no mercado digital, o que eleva seu faturamento de forma rápida.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui