A integração vertical é uma estratégia pela qual uma empresa possui ou controla seus fornecedores, distribuidores ou pontos de venda para administrar seu valor ou cadeia de suprimentos, sendo capaz de criar vantagem competitiva ao integrar diferentes etapas de seus processos.

Isso significa que uma empresa verticalmente integrada fará com que operações que anteriormente eram terceirizadas, agora sejam realizadas internamente. A direção da integração vertical pode ser para frente ou para trás, conceitos serão abordados com detalhes a seguir. 

O artigo apresenta como os varejistas são impactados pela integração vertical, tanto internamente como externamente, em casos de seus concorrentes também aderirem esta estratégia.

Existem Dois tipos de Integração Vertical

Integração para Trás

A integração para trás acontece quando uma empresa expande para trás no caminho de produção da manufatura, o que significa que um varejista compra o fabricante de seu produto. Um exemplo é a Amazon, que se expandiu de uma loja online de livros para se tornar uma editora com sua plataforma Kindle, ou seja, ela passou a fazer parte de duas etapas da cadeia.

Outro exemplo pode ser dado com a própria Amazon, ela também possui depósitos e partes de seu canal de distribuição, então, ao invés de delegar essas etapas que não necessariamente são o core do negócio, a empresa faz a integração para trás e une os processos.

Integração para Frente

A integração para frente ocorre quando uma empresa se expande comprando e controlando a distribuição direta ou o fornecimento de seus produtos, ou seja, ela será cliente dela mesma. Um fabricante de roupas que abre seus próprios locais de varejo para vender produtos é um exemplo de integração para frente ou progressiva. 

A integração para frente ajuda as empresas a eliminar o intermediário. Com isso, ao remover distribuidores que normalmente seriam pagos para vender os produtos de uma empresa, a lucratividade geral aumenta.

Outro exemplo, agora fora do varejo, é uma empresa de energia solar que produz produtos fotovoltaicos e também fabrica as células usadas para criar esses produtos. Ao fazer isso, a empresa avançou ao longo da cadeia de suprimentos para assumir as funções de fabricação.

Graus da integração vertical

A integração vertical pode ser categorizada em 4 graus diferentes, que abordam distintas estratégias que são mais adequadas em contextos específicos. Segue abaixo cada uma delas e uma breve descrição do que significa.

1. Integração vertical completa

Ocorre quando a empresa obtém todos os ativos, recursos e conhecimentos necessários para replicar o membro para trás ou para frente na cadeia de suprimentos.

2. Integração quase vertical

Obtenção de alguma participação em um fornecedor na forma de investimentos especializados ou participação acionária para obter benefícios de agência, consequentemente aumentando a participação acionária no resultado.

3. Contratos de longo prazo

Uma forma diluída de integração vertical na qual alguns elementos de aquisição são mantidos constantes para reduzir inconsistências na entrega do produto, enquanto mantém os custos constantes até certo ponto.

4. Contratos à vista

O ponto em que uma empresa não está verticalmente integrada é quando ela depende de contratos à vista para receber a entrada imediata necessária para sua produção.

Quais as vantagens e desvantagens

A integração vertical beneficia as empresas, permitindo-lhes controlar o processo, reduzir custos e melhorar a eficiência. No entanto, a integração vertical também apresenta algumas desvantagens que são apresentadas abaixo.

Vantagens da integração vertical

  • Redução das interrupções no fornecimento de fornecedores que podem obter dificuldades 
  • Maior competitividade levando os produtos aos consumidores de forma direta e rápida
  • Economias vindas de: Operações combinadas; Derivadas do controle e da coordenação internos; De informação; Obtidas ao se evitar o mercado; Devidas a relacionamentos estáveis
  • Contenção de custos nas áreas conjuntas de controle, de compras,  vendas, produção, transporte, entre outras
  • Vendas e lucratividade aprimoradas ao criar e vender uma marca própria

Desvantagens da integração vertical

  • As empresas podem ficar muito grandes e gerenciar mal o processo geral
  • A terceirização para fornecedores e vendedores pode ser mais eficiente se sua experiência for superior
  • Os custos de integração vertical, como a compra de um fornecedor, podem ser significativos
  • Aumento da dívida se for necessário pegar empréstimo para despesas de capital
  • Perda de foco
  • Provavelmente uma cultura prejudicada para suportar as lojas e a fábrica

Ilusões em decisões de integração vertical

Michael Porter, em seu livro Estratégia Competitiva, aponta 5 percepções errôneas que são comuns sobre os benefícios da integração vertical contra as quais é importante buscar se prevenir.

  1. Uma posição firme no mercado em um estágio pode ser automaticamente estendida ao outro
  2. Sai sempre mais barato fazer as coisas internamente
  3. Sempre faz sentido a integração para um negócio competitivo
  4. A integração vertical pode salvar um negócio que está estrategicamente adoentado
  5. A experiência em uma das partes da cadeia vertical qualifica, automaticamente, a administração para atuar na direção da unidade “corrente acima” ou “corrente abaixo”

É importante ter esses pontos em mente, porque por mais que haja um planejamento bem feito de toda a estratégia de integração vertical, não necessariamente quer dizer que a execução ocorrerá da forma pensada. 

Existem diversas variáveis que devem ser analisadas no processo de tomada de decisão da estratégia, e muitas vezes apenas um detalhe não considerado pode fazer com que a execução ofereça um cenário que não haja a lucratividade mínima desejada.

Exemplo Real de Integração Vertical

Um exemplo real de integração vertical é o da Apple, que possui locais de varejo para vender produtos, bem como fábricas em todo o mundo. Por exemplo, em 2012, a Apple adquiriu a AuthenTec, que fabrica o sensor de impressão digital touch ID que vai para seus iPhones. 

Em 2015, a Apple abriu um laboratório em Taiwan para o desenvolvimento de tecnologias de tela LCD e OLED. Esses investimentos, entre outros, permitem que a Apple se mova ao longo da cadeia de suprimentos em integração reversa, proporcionando flexibilidade e liberdade em sua fabricação.

Além da Best Buy e outros varejistas cuidadosamente selecionados, os produtos da Apple são vendidos quase que exclusivamente em lojas próprias. Isso permite que a Apple controle rigidamente a distribuição e a venda ao consumidor final.

Conclusão

A Integração Vertical tem suas vantagens como foi abordado no texto, mas é importante ter em mente que essa é uma estratégia extremamente complexa. Portanto, mesmo realizando uma análise das desvantagens, não necessariamente quer dizer que Integração Vertical será benéfica para a organização.

Essa é uma das estratégias mais complexas que uma empresa pode tomar, tanto em uma integração para trás como em uma para frente. Por esse motivo, a decisão de fazer internamente o que era terceirizado deve ser com cuidado e atenção, demandando em muitos casos ajuda externa de uma consultoria, por exemplo.

Nesse sentido, a influência da integração vertical para os varejistas se torna gigantesca, pois não só define como a empresa se posiciona no mercado, mas também diz muito sobre seu futuro, sendo ele em cenários positivos ou negativos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui