As medidas de isolamento social com o objetivo de mitigar os impactos negativos da pandemia do coronavírus causam uma redução significativa na receita do varejo brasileiro e também global. 

De acordo com dados da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo, a CNC, o revés da receita do setor entre as datas de 15 de março à 25 de julho resultou em um prejuízo acumulado de R$ 279 bilhões.

Esse valor fica ainda mais relevante quando são analisados os impactos em datas comemorativas. No Dia das Mães, por exemplo, houve um decréscimo de 32% nas vendas. Já na semana do Dia dos Pais, as vendas no varejo encolheram 8,8%.

A ampliação da jornada diária de shoppings centers e do comércio não essencial ainda seguem acumulando perdas. Esse aumento do horário de funcionamento das lojas gerou uma mitigação do prejuízo apresentado no gráfico, porém ainda não trouxe melhorias significativas.  

Isso ocorre principalmente em razão da redução do poder de compra do brasileiro e também mudança de comportamento no que se refere a um maior conservadorismo por parte das pessoas, investindo boa parte do dinheiro na poupança, por exemplo.

As seguidas reduções da Taxa Selic, além de diversos outros impactos, também tem como objetivo reduzir o interesse das pessoas em alocar seu patrimônio para rendas fixas. Diante desse e outros fatores, os varejistas ainda possuem esperança de uma retomada mais forte do varejo, especialmente com a chegada da vacina que se aproxima.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui